Você conhece a história do crochê?

Você conhece a história do crochê?

Pouco é conhecido da origem do crochê. Há teorias de que o crochê poderia ter existido a partir de 1500 AC. Existem três teorias principais para a origem do crochê. Alguns creem que seja proveniente das Arábias chegando à Europa via oeste na Espanha, e difundido para outros países mediterrâneos através da rota de comércio dos árabes. Alternativamente, acredita-se que seja proveniente da América do Sul, onde tribos primitivas do Peru o empregava em ornamentos para ritos de passagem.

 

Outra teoria é de que tenha surgido na China, onde foram encontradas bonecas muito antigas trabalhadas em crochê, e difundido através da Rota da Seda. Contudo, não se pode afirmar com certeza onde e quando surgiu o crochê. O que se pode afirmar é que na Idade Média ele já era conhecido na Índia, China, Turquia, Tunísia e Egito. Difundido por toda a Europa, sob o nome tambouring, durante a Idade Média era ensinado nos conventos às moças de boa família, e em seguida, a técnica do crochê se transforma no passa tempo favorito das senhoras da Itália, Espanha e França.

 

No período da Renascença, seguida à época de Louis XIV, a técnica é aprimorada, melhorando, assim, a qualidade das obras. A Revolução Francesa permite a exportação da técnica para todos os países da Europa (Irlanda, Inglaterra e Países Nórdicos) graças às famílias nobres que detinham o “know-how”. Durante os séculos seguintes a técnica é aprimorada pouco a pouco, mas é na Irlanda do século XIX que o crochê atinge seu apogeu, tornando-se uma verdadeira indústria.

 

Com efeito, após a grande fome de 1846, conta-se que a madre superiora de um convento irlandês pediu licença à sua congregação para ensinar a técnica às mulheres do povo , para que assim pudessem trabalhar, permanecendo ao mesmo tempo em casa. O sucesso é enorme, as rendas Irlandesas fabricada em Dublim ou em Belfast eram exportadas para o no mundo inteiro, particularmente para a Inglaterra vitoriana. Estas rendas serviam para ornar os vestuários e lingeries, assim como para fabricar pequenos objetos decorativos para a casa.

 

Na França igualmente indústria desenvolve-se e substitui progressivamente o artesanato, em Franche Comté e, seguidamente, em todo o país. A técnica que se transmitia anteriormente de geração em geração, passou a ser então, objeto de livros onde pode-se estudar a técnica básica e encontrar numerosos modelos de’ obras. Assim, a Srta Riego de Blanchardière após ter ensinado a técnica do crochê à corte da rainha Victoria publica a primeira revista sobre o assunto: “The Needle”. Editou numerosos modelos e criou, o ponto aujourd hoje chamado de crochê irlandês.

 

Fonte: Sandra Machado Arte



ultricies id quis, libero elit. ut at et, venenatis